5.10.10

Censura eu também, Folha!

Pau que bate em Chico, não deve bater em Francisco. O jornal Folha de S.Paulo, que se diz um defensor da liberdade de expressão, entrou na justiça contra um site de humor que tirava um sarro da linha editorial do jornal, mostrando que o apartidarismo do jornalão não passa de uma balela.

Os idealizadores do site Falha de S.Paulo tiveram que retirar todo o conteúdo do ar para não correr o risco de desembolsar R$ 1.000 por dia. Curiosamente, a Folha conseguiu a liminar no dia 30 de setembro, quatro dias depois de publicar em sua primeira página um editorial com o título
“Todo poder tem limite”.

No caso da Falha, a Folha mostrou que não teve limite para usar seu poder. O jornal já enfiou um processo nos criadores do site, em vez de procurá-los para mostrar o descontentamento do jornalão com a sátira.

"A gente ficou muito inconformado, porque foi de uma incoerência atroz. A gente não tem advogado, a gente não tem nada! A gente nem viu o processo. É de uma violência absurdamente grande, totalmente incoerente com o que a própria Folha defende", declarou ao Portal Imprensa um dos criadores do site, o jornalista Lino Bochini.

A advogada da Folha, Taís Gasparian, alegou que o jornal não queria censurar o site, mas apenas impedir o uso indevido da marca Folha de S.Paulo. Uso indevido? Os caras apenas satirizaram uma marca, coisa que o colunista José Simão tem liberdade para fazer no jornalão da família Frias. Aliás, como bem lembrou o mano Fausto, do blog Boteco Sujo, quando o Simão foi vítima da mesma censura judicial por conta de uma piada que ele fez com a atriz Juliana Paes, a mesma advogada disse que a decisão do juiz tratava “o humor como ilícito e, no fim das contas, é a mesma coisa que censura”.

É justamente por causa da atitude censora da Folha de S.Paulo que, a partir de hoje, Mondo Cane, republicará parte do material da Falha de S.Paulo.



Atualização: Apesar de não ser político (deus que me livre), sou péssimo para cumprir promessas e não republiquei o conteúdo do Falha de S.Paulo. Mas nem foi preciso. De maneira criativa, os responsáveis pela sátira que incomodou o jornalão da família Frias retornaram com o site "Desculpe a nossa falha". Lá é possível conhecer o risível processo movido pela Folha de S.Paulo e ficar por dentro de todo o barulho causado pela brincadeira dos irmãos Bocchini.

Um comentário:

O FALCÃO MALTÊS disse...

Parceiro, belo trabalho! Bravo!
Como amigo do cinema, convido-o a navegar no blog O Falcão Maltês. Com ele, procuro o deleite cinematográfico.
Abraços,
Antonio Nahud Júnior

www.ofalcaomaltes.blogspot.com