20.3.13

Clássicos da pornochanchada: O Inseto do Amor (1980)


Atualmente falta picardia nas comédias brasileiras, coisa que as pornochanchadas tinham de sobra nos anos 70 e 80. As comédias eróticas produzidas na Boca do Lixo de São Paulo nessas duas décadas atraíam uma multidão de pessoas para as salas de cinema, graças aos dotes físicos de atrizes como Helena Ramos, Nicole Puzzi e Matilde Mastrangi, entre tantas outras musas do cinema nacional. Mas também por causa de argumentos engraçadíssimos, como o do filme O Inseto do Amor (1980), do diretor Fauzi Mansur.

Naquela época os cartazes dos filmes eram um convite à parte para fisgar a atenção do público. No traço do ilustrador gaúcho Benício, o cartaz de O Inseto do Amor trazia a imagem de um mosquito aumentada por uma lupa no momento em que ele dava uma ferroada maliciosa em um traseiro feminino. Em segundo plano aparecem as caricaturas de astros como John Herbert, Helena Ramos, Rossana Ghessa, Serafim Gonzalez, Angelina Muniz e Arlindo Barreto sob o efeito da picada do Anophelis sexualis, nome científico do tal inseto do amor.

Com roteiro do próprio diretor e do escritor Marcos Rey, o filme começa com o cientista Hans Muller (interpretado por Carlos Kurt, o eterno vilão dos filmes dos Trapalhões) fazendo uma expedição à selva amazônica. Ele foi até a Amazônia coletar alguns mosquitos para estudo, pois já tinha ouvido falar das propriedades afrodisíacas do Anophelis sexualis. Hans leva os espécimes para um hotel em Ilhabela, no litoral paulista, onde ele está hospedado. Ao saber da presença dos insetos na cidade, a população entra em polvorosa.

Uma confusão envolvendo o cientista e um hóspede do hotel, que queria roubar um mosquito para curar sua impotência, faz com que os insetos fujam do recipiente onde estavam guardados. A partir daí uma série de problemas acontecerá na pacata ilha. Homens e mulheres picados pelo mosquito não conseguirão controlar seus instintos mais selvagens. Quem não fizer sexo no período de duas horas irá bater as botas, como um presidiário, a primeira vítima do inseto no filme. Sozinho na cadeia, ele acabou furando a parede da cela recheada com pôsteres retirados de revistas de mulher pelada.

Ninguém escapa imune do rígido ferrão do inseto do amor, nem mesmo os personagens moralistas do filme. O padre Soares (interpretado por Jofre Soares) passa o filme inteiro duvidando da eficácia da ferroada. “O pecador quer qualquer desculpa para pecar. O pecado está na mente da pessoa e não na picada de um mosquito”, vive repetindo o religioso, que enfrentará um terrível dilema em sua cruzada contra os ‘pervertidos’. As comédias atuais precisam de uma picada da ousadia dos filmes de outrora.

FICHA TÉCNICA
Diretor: Fauzi Mansur
Elenco: Angelina Muniz, Helena Ramos, Zélia Diniz, Jofre Soares, Serafim Gonzalez, John Herbert, Carlos Kurt, Arlindo Barreto, Flávio Porto, Lola Brah, Francisco Cúrcio, Felipe Levy, Renato Bruno, José Lucas, Rossana Ghessa, Ana Maria Kreister, Claudette Joubert, Liza Vieira, Alvamar Taddei, Heitor Gaiotti, Henriqueta Brieba, Carlos Bucka, Eudes Carvalho, Misaki Tanaka, Alexandre Dressler, Cavagnole Neto, Marcos Plonka, José Júlio Spiewak, Mara Husemann, Fábio Villalonga, Suleiman Daoud, Lino Sérgio, Nádia Destro, Marthus Mathias, Henrique Bertelli, Tereza Rodrigues, Carmen Ortega, Vera Lúcia, Ariadne de Lima, Celina de Castro, Celso Gil, Pedro Paulo Zuppo, André Luiz, Michel Cohen, Marly Palauro, José Lopes, Aparecida de Castro, Sílvia Regina, Márcia Montiel, Gilberto Fernandes, Carlos Arena, Hélio Motta, Luiz Schiavo, Miranda Marques, Cinira Capucci, Clarice Ruiz, Fátima Fonseca, Ilse Marques, Carmen Goulart, Zé da Ilha, Wandilson, Iolanda Silva, Júlia Veloso, Lilian Leila, Divina Cherotto, Roseli Dias, Dionísio Pedralli, Fafá, Rosecler, Ezequias Balmat, Domingos dos Santos, Hilda de Castro, Simone, Valderez Pires
Produção: J. D’Avila Produções Cinematográficas
Argumento e roteiro: Fauzi Mansur e Marcos Rey
Fotografia: Gesvaldo Arjones Abril
Duração: 100 minutos
Ano: 1980

O filme chegou a ser lançado em DVD pela Sexxxy, mas está fora de catálogo.

Um comentário:

Oz disse...

Excelente post Gio, muchas gracias por compartirlo. Te quiero invitar a mi nuevo Blog de Cine de Terror que seguramente te gustará, espero tus comentarios en:
http://terror-en-el-cine.blogspot.com/

Un gran saludo, Oz.