19.7.06

(Re)bolada


Sempre defendi que qualquer tipo de situação, adversa ou não, deve ser encarada com bom humor. Foi o que fez o empresário Silva Neto, ao ser questionado pelo jornal carioca Extra sobre a homossexualidade de sua filha Thammy Gretchen. “Se isso acontecesse, acharia legal, porque ela teria o mesmo gosto que eu. Afinal, não conheço nada melhor (do que mulher)”, brincou o ex-marido da cantora rebolativa Gretchen.
A homossexualidade de Thammy veio à tona com a descoberta de sua página no Orkut. Nela, Thammy aparece abraçada com uma jovem chamada Patrícia, a quem chama de “Dona Encrenca”. Patrícia usa o mesmo sobrenome de Thammy, dando a entender que as duas estão assumindo um relacionamento sério. Patrícia também tem uma página no Orkut, na qual colocou uma foto de seu filho e de Thammy com a seguinte legenda: “meus dois amores”.
Para aumentar a suspeita, Thammy aparece de visual novo em uma das fotos: cabelos curtíssimos, com luzes, sem maquilagem no rosto. Infelizmente, a filha de Gretchen e Patrícia perderam o rebolado e preferiram sair do Orkut por causa do preconceito dos freqüentadores do site, que atucharam a página das duas com mensagens ofensivas. Deveriam encarar a situação com bom humor, dando um foda-se para os babacas.

Um comentário:

Adriana Louro disse...

Infelizmente, Gio, ainda vivemos em um mundo facista, ignorante e neadertal.Ter bem definida uma opção sexual ainda que contrária ao senso comum não ofende ninguém, apesar de que o preconceito continua plantado na hipocrisia da diversidade religiosa e política. No Peru, por exemplo, a primeira-ministra renunciou ao cargo por suas preferências sexuais; na Índia, os pôsteres do filme sobre lésbicas, "Girlfriend", foram destruídos por religiosos que consideravam o filme ofensivo à cultura hindu; em alguns países do mundo as mulheres são condenadas à morte por lesbianismo...e se continuo a citar exemplos a coisa não pára aqui!
Sempre passo por aqui, mas essa é a primeira vez que me atrevo a deixar um comentário! Bjs!