15.7.09

Cuidado: não cruze o caminho de Sady Baby em...

A palavra sadismo, que define a perversão sexual de ter prazer na dor física ou moral do parceiro, surgiu do nome de Marquês de Sade, como era conhecido o aristocrata e escritor francês Donatien Alphonse François de Sade (1740 - 1814). Mas bem que poderia ter originado do nome de Sady Baby, como é conhecido o cineasta gaúcho Sadi Plauth, que nunca soube quem era Marquês de Sade.

Todas as obras de Sady Baby são repletas de cenas de dominação. Geralmente o próprio cineasta aparece em cena obrigando alguém a manter relações sexuais com outra pessoa ou até mesmo com um animal. A coerção sempre acontece sob a mira de alguma arma. A satisfação com a morte alheia também está presente nos papéis interpretados por Sady em suas obras. E as seqüências mais criativas de homicídios podem ser vistas no filme "Emoções Sexuais de um Jegue" (1986).

Nesse filme Sady é o presidiário aidético Gavião. Após fugir da prisão, Gavião encontra uma loira perambulando por uma mata. Para tirar o atraso, o facínora arrasta a mulher para um local onde há um providencial caixão. "Esse é o caixão do amor. Estou com fome de sexo. Vou comer seu cu aqui dentro", diz Gavião para a beldade, uma das duas mulheres que são infectadas pelo bandido com o vírus HIV durante o filme.

A grande saga de Gavião em "Emoções Sexuais..." é encontrar seu pai, o caquético "velho Paçoca, para matá-lo. Isso porque o idoso engravidou a mulher do filho enquanto ele esteve em cana. Gavião ameaça esmurrar a barriga da mulher para que ela perca o bebê. No final, ele resolve atear fogo no casebre onde a adúltera mora. A mulher não consegue escapar do ato bárbaro porque o marido a amarrou e cobriu sua cabeça com um saco.

O criminoso fica sabendo que o pai também traçou a própria filha, ao ver o proeminente barrigão dela. O diálogo entre Gavião e a irmã é um dos momentos mais engraçados do filme. "Quem é o pai da criança?", pergunta o bandidão. "O pai", responde a irmã. "Que pai?", volta a questionar Gavião. "O nosso pai", explica a irmã. "Velho fedido. Eu vou comer o cu daquele velho filho da puta", resmunga o fugitivo, saindo no encalço do velho tarado.

Durante sua busca, Gavião obriga um médico a chupar uma ferida em seu braço, para infectá-lo com o vírus da Aids (a punição foi porque o médico prometeu uma cura para a doença e não cumpriu a promessa), e ainda mata um homossexual em uma boate, abrindo o tórax dele com uma motosserra. Mais para a frente o bandido é baleado por um homem de quem roubou um carro, mas o ferimento provocado pelo tiro não impede que ele continue atrás do "velho Paçoca". O tão esperado encontro acontece no final do filme.

“Emoções Sexuais...” tem duas cenas que comprovam a genialidade de Sady Baby. Em uma delas, o cineasta gaúcho aparece com uma motoserra cortando a barriga de um infeliz. Sady nunca viu “O Massacre da Serra Elétrica” nem “Evil Dead” ou qualquer outro filme de horror que influenciasse as cenas sangrentas de suas obras pornográficas. Na outra cena, Sady mostra o que faria se pudesse colocar uma câmera dentro da vagina da atriz. Como isso seria impossível, o cineasta pediu para um ator enfiar o pênis num pedaço de bife e registrou como seria um gozo visto do interior da vagina.

Aproveitando o sucesso de outro filme anterior dele, "Emoções Sexuais de um Cavalo", Sady Baby repetiu o título nessa sua obra de vingança trocando apenas o eqüino. Mas o jegue aparece em uma rápida cena e ainda decepciona os zoófilos de plantão. Mas os fãs de cinema extremo ou de ação vão se divertir com as peripécias do personagem interpretado pelo Marquês Sady.

O filme pode ser baixado aqui.

Um comentário:

LEO disse...

Grande Blog esse!
Assuntos que interessam a mim e ao Seximaginarium!
Abraço do Leo