15.9.06

Eleições: "Sozinho a gente não se masturba", diz candidato Clodovil


O estilista Clodovil Hernandes é candidato a deputado federal pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). Em entrevista para a coluna da jornalista Mônica Bergamo, publicada na Folha de S.Paulo do último domingo, Clodovil mostrou ser uma pessoa de alto nível, humilde, coerente, sem nenhum preconceito, que ama seu país e confia plenamente em seus empregados.
1. O que é melhor, ser estilista ou deputado?
Depende de como você leva a vida. Se você quer dar o que é seu, tudo bem.
2. Direita ou esquerda?
Erecto.
3. Quanto ganha um deputado?
R$ 15.000. Para mim, isso não dá para uma semana. Tem uma verba paralela para pagar os empregados, mas já sei que vou ser roubado por eles. No Brasil, mais de um é quadrilha.
4. Qual a vantagem de ser político?
Nenhuma. Ainda mais porque eu nasci aqui e não na Alemanha, onde tudo é melhor, a começar pela raça. Nós viemos de índios bobos, antropófagos, você não pode pretender que as coisas sejam iguais.
5. Pretende recompensar quem o apóia?
Não vou prometer coisas para um povo que depois faz tudo pra te derrubar. Não sou como essa gentália de políticos sem vergonha que, de um dia para o outro, passa de Ali Babá para Herodes. É claro que vou precisar de apoio, porque sozinho a gente não consegue nem se masturbar – tem de pensar em alguém.
6. Por que acha que vai se eleger?
Porque o povo me quer bem, é algo conquistado.

Um comentário:

Fernanda disse...

E ele inaugura uma nova posição ideológica - ou, por que não, ideorótica?
Salvem os erectos!